A história do mega.ist.utl.pt por Ecks

Há muito tempo atrás, numa época onde os VT100 eram elitíssimos e o povo tinha de usar punchcards, o alfa.ist.utl.pt era rei. Eventualmente, a Nobreza do Instituto Superior, que saciava por mais poder de processamento, consultou o Oráculo dos Magos do CIIST.

Os Conselho dos Magos do CIIST, atormentados diariamente pelo Dragão do Derrapamento Orçamental do Reino de Portugal, cuja maldição interminável incapacitava o Oráculo dos seus poderes divinatórios de gestão de recursos, e assim, incapaz de tomar uma decisão que agradasse à Nobreza do IST mas não despertasse a fúria do Dragão, decidiu então usar um encantamento arcano e invocar os Três Geeks: o Capitalista do Windows, o Zealot do Linux e o Fanboy do MacOS.

Como qualquer ser invocado que se preze, os Três Geeks respondem a uma, e uma só pergunta dos invocadores, para logo a seguir desaparecerem num fumo, cujo espalhafato só pode ser comparado ao das suas aparições, e adormecerem num sono milenar.

Amedrontado, o Assistente do Oráculo-mor do CIIST coloca a pergunta previamente deliberada pelo Conselho aos Três Geeks:

– Ó, Grandiosos Geeks. Atendei ao nosso humilde apelo e respondei à nossa Mortal questão: “Que plataforma é capaz de apaziguar a sede de processamento da Ilustre Nobreza do Feudo do IST?”

Pela primeira vez na História, os Três Geeks não responderam imediatamente. Geraram-se murmúrios na Sala de Encantamentos entre os membros do Conselho.

– SILÊNCIO. – Bradou o Zealot do Linux. – Instalem GNU/LINUX. Quem se atrever a OLHAR sequer para um Sistema Operativo não Livre, está a cometer um dos mais graves Pecados Mortais Secretos.

A Sala caiu no silêncio.

– Não, não, mil vezes NÃO! – Interrompeu o Capitalista do Windows. – Linux é uma imitação de uma tecnologia obsoleta! O Windows NT está mais estável do que nunca: fornece a potência de que um servidor necessita, juntamente com uma Interface Gráfica familiar e a ubiquidade crescente do Windows. Não pode falhar! – Declara, para depois sussurrar: – E é claro, enche-me os bolsos de precioso ouro e especiarias…

Geraram-se murmúrios na Sala, que rapidamente subiram de tom. Dois dos Três Imortais não estavam de acordo?!

O Fanboy do MacOS espreita: – Mas… Decerto ouviram falar de Rhapsody… O poder do UNIX e a qualidade da Apple Computers. Não valeria a pena esperar pelas revoluções que se vão fazer sentir num futuro próximo?

Instalou-se o caos na Sala de Encantamentos.
Os Três Geeks discutiram incansavelmente durante as próximas 48 horas seguintes, apresentando argumentos a favor do seu Sistema Operativo de eleição e contra-argumentos para esconder as falhas do mesmo. No segundo nascer do Sol contando a partir da hora de Invocação, o Assistente do Aprendiz do Assistente do Vice-Oráculo que se encontrava de vigia à espera da deliberação final dos Imortais, foi acordado pelos primeiros raios de Sol.
– Ai! O Sol! Arre! Isto é melhor se eu tirar o incenso do meio do Círculo de Invocação antes de o Sol nascer, ou o incenso ainda começa a faiscar e o Senhor Aprendiz do Assistente do Vice-Oráculo dá me conta do catano… – Reclamou o inexperiente Assistente do Aprendiz do Assistente do Vice-Oráculo.

– Solarreis Two? – Inquiriu o Capitalista do Windows, tentando descodificar a mensagem verbal proferida pelo Assistente no seu sotaque pesado do Alentejo.

– Solaris! – Exclamou, com admiração, o Zealot do Linux

– Alguém disse spark? – Perguntou, confuso, o Fanboy do MacOS.

– Solaris/SPARC! – Começou o Capitalista do Windows com cifrões em lugar da íris – Ainda mais dispendioso do que Windows!...

– …E tão inútil como Linux! – Continuou o Zealot do Linux

– Mas mas… – Interrompeu o Fanboy do MacOS, o qual foi prontamente mandado calar pelos outros dois Geeks Imortais: – Pssht, cala-te!

– Os Três Geeks deliberaram. – Proclamou o Zealot do Linux – O CIIST deverá encomendar um servidor SPARC à Sun Microsystems, que irá correr o Solaris 7. Esta máquina deverá saciar o apetite da Nobreza durante um tempo de vida útil razoável. Os Três Grandes responderam, os Três Imortais descansarão.

E os Três Geeks desapareceram numa nuvem de fumo místico ainda mais espectacular do que a primeira.

Os restantes membros do Conselho entraram de rompante pela Sala de Encantamentos adentro, alertados pelo barulho da desaparição dos Três. Quando informados da deliberação dos Três Geeks, o Secretário do Oráculo-Mor indignou-se:

– Mas isso é RIDÍCULO! Atrevo-me a dizer que os Três Grandes se ENGANARAM! Uma máquina dessas decerto que irá despertar uma fúria incontrolável do Dragão, aumentando a força da sua maldição em pelo menos cem vezes!

A confusão instalou-se imediatamente, uma vez mais, na Sala de Encantamentos do CIIST. O barulho ensurdecedor foi quebrado pelo neto do Oráculo-Mor, que se desprendeu das saias da sua ama para falar:

– Membros do Conselho; os Três Grandes não falharam. – Um burburinho começou a ouvir-se no fundo da Sala – A Excelentíssimo Assistente do Oráculo apenas não mencionou a existência do Dragão e da sua maldição que paira sobre o nosso amado Reino, pelo que os Grandiosos não tomaram em conta esse factor na sua deliberação.

O Conselho apercebeu-se que a criança falava a verdade e instalou-se um clima de desespero comum: – Estamos perdidos! É o fim! – Desesperou um Membro do Conselho.

O sábio Oráculo-Mor proclamou então: – Nada temam. A fúria do Dragão é ínfima comparada com a fúria dos Três Grandes se formos incautos demais ao ponto de desrespeitar a sua deliberação final. Far-se-á a vontade dos Três Imortais; a máquina será baptizada de “MEGA”, que corresponde ao número de anos de serviço adicional fora do tempo da sua vida útil que a mesma vai prestar de modo a apaziguar a fúria do Dragão e a sua Maldição da Derrapagem Orçamental.

E nasceu o mega.ist.utl.pt que destronou o alfa.ist.utl.pt e que ainda persiste no “Feudo do IST do Reino de Portugal”, agora chamado apenas de “Instituto Superior Técnico, Portugal”. No entanto, partes do antigo Feudo do IST ainda se mantêm intocadas, governadas pelo seu antigo Mestre, alfa. Estes territórios remotos são conhecidos por “Departamento de Gestão”, onde a Nobreza nunca ouviu falar de “sites”.

12 conspirações:

  1. shutkski disse...

    1st

    btw, que post mais geek... dass santa paciencia pa pensar e escrever isso tudo, apesar de tar interessante...

    Um conselho a todos: Leiam o blog desde o início, constatem a evolução nos posts e depois venham-me cá dizer que o IST não muda as pessoas, que aqui ninguém é nerd... E tudo aconteceu sem que dessemos conta...










    :medo:  

  2. иêѕ disse...

    Eu sei k é bué grande e isso tudo, mas tava no fórum... E como até tá giro (até tem a sua piada...) e posto sempre o mm tipo de coisas, resolvi pôr isto aqui hj... E não refilem cmg se faz favor...  

  3. Ferreira disse...

    Acho que existe um nerd adormecido dentro de cada um de nós à espera do momento certo para acordar...

    (Caramba, isto foi assustador...)  

  4. Datwo disse...

    Ferreira não digas isso senão o pessoal fica com medo de de adormecer para no dia a seguir não acordar geek...  

  5. SkimbleShanks disse...

    (LOL DATWO!!)
    Epa curti o post.  

  6. Anónimo disse...

    Então e o camoes? ninguém fala dele, coitado... :P  

  7. Ferreira disse...

    O camoes era zarolho. Não é para aqui chamado.  

  8. Ecks disse...

    Yay, o meu post na Leic X-Files. I feel praised. Btw, eu estava *bastante* aborrecido quando escrevi aquilo. Devia estar a fazer o projecto de SO, mas em vez disso, resolvi desperdiçar tempo.

    shutkski: Eu sempre fui nerd, só não me atrevia a fazer cenas destas no princípio. :p

    Isto quer dizer que agora sou escritor freelancer? :p  

  9. иêѕ disse...

    Como um certo alguém disse, este post é "Mais uma história BBC IST selvagem, desta vez em conjunto com o canal ISTória" LoOoL xD  

  10. gaps disse...

    A INÊS É FEIA, NÃO GOSTO DELA!

    "Porquê?", perguntais vós?

    Eu esclareço:
































    Porque sim.  

  11. Anónimo disse...

    tl, dr.  

  12. иêѕ disse...

    Tmb te amo mt gaps... LOL!!!!  


 

(c) LEIC-X Files 2007 Todos os direitos reservados.